Aguarde...
ENVIAR POR E-MAIL

Saúde

Acessibilidade para pacientes da Terapia Ocupacional

Acadêmicos da Unifra desenvolvem materiais que promovem a inclusão de pacientes

por Maiquel Rosauro em 13/10/2016 14:27

Compartilhar:

Mais opções

Da esquerda à direita: Andrea Gaida, Viviane Rocha, Priscila Tonetto, Franciele Flores e Lidiane Oleques com os materiais de acessibilidade desenvolvidos no curso de Terapia Ocupacional. Foto Gabriel Haesbaert / A Razão
Da esquerda à direita: Andrea Gaida, Viviane Rocha, Priscila Tonetto, Franciele Flores e Lidiane Oleques com os materiais de acessibilidade desenvolvidos no curso de Terapia Ocupacional. Foto Gabriel Haesbaert / A Razão

Conquistar a independência nas tarefas no dia a dia é uma grande conquista para pessoas que se recuperam de alguma lesão ou sofrem com paralisia cerebral. Na busca deste objetivo, alunos do curso de Terapia Ocupacional do Centro Universitário Franciscano (Unifra), desenvolvem materiais adaptados que promovem acessibilidade e inclusão para os pacientes.

O curso conta com uma Clínica de Atendimento, no Conjunto III da Unifra, onde os próprios alunos desenvolvem as peças para seus pacientes. Engrossador de lápis, suportes para talheres, fixadores de mãos e desabotoadores estão entre alguns dos itens produzidos.

“Nossa trabalho é para que a pessoa tenha mais independência no dia a dia”, explica a professora Eliane Caldas.

Para produzir os utensílios, os alunos usam todo tipo de material possível, como termoplástico, madeira, arame, garrafas de amaciante... Cada peça é única, pois antes de produzir é preciso calcular as medidas do paciente e analisar suas dificuldades. Tanto esmero e cuidado já rendem resultados.

“Fazia uns três anos que um dos nossos pacientes não conseguia usar uma faca. Agora ele usa um fixador de mão e voltou a usar o talher”, relata Eliane.

As gambiarras produzidas pelos acadêmicos da Unifra chamaram a atenção da Mercur, empresa de Santa Cruz do Sul que desenvolve produtos para as áreas de educação, saúde e revestimentos. Através do projeto Diversidade da Rua, a Mercur desenvolveu materiais em borracha que hoje são uma alternativa aos objetos improvisados. Os produtos são usados, sobretudo, como recursos escolares com crianças que estão em processo de inclusão na escola.

Reabilitação psicossocial
Embora a recuperação física seja uma das funções mais conhecidas do terapeuta ocupacional, é na área de saúde mental que a maioria dos profissionais atua.
“O terapeuta ocupacional é muito procurado para a reabilitação psicossocial, trabalhando, por exemplo, com pessoas em tratamento contra álcool e outras drogas”, explica a professora Bruna Maziero.

Exposição
Hoje é comemorado o Dia do Terapeuta Ocupacional. Para marcar a data, professores e alunos do curso realizam uma exposição no Royal Plaza Shopping. No local, são apresentados alguns dos materiais desenvolvidos pelos acadêmicos, ao mesmo tempo em que o público pode tirar dúvidas e conhecer um pouco mais sobre o curso.

Vestibular
A Unifra está com inscrições abertas para o vestibular de verão. São ofertadas 1.280 vagas em 30 graduações. Para o curso de Terapia Ocupacional são oferecidas 40 vagas com aulas são noturnas e estágios diurnos. A inscrição deve ser realizada no site www.unifra.br até o dia 7 de novembro. A prova única ocorre em 28 de novembro.

Comentários

Participe enviando seu comentário sobre a notícia