Aguarde...
ENVIAR POR E-MAIL

Região

Vegetação nativa ocupa 75% de todo o território de Santiago

Conforme o estudo, os outros 25% do território santiaguense estão distribuídos entre as áreas ocupadas pelas lavouras

por A Razão em 06/02/2017 11:10

Compartilhar:

Mais opções

Utilizando imagens de satélite, verificações a campo e técnicas de geoprocessamento, observou-se que dos 241.307 hectares que compõem o território do município (Foto: Jones Diniz / A Razão)
Utilizando imagens de satélite, verificações a campo e técnicas de geoprocessamento, observou-se que dos 241.307 hectares que compõem o território do município (Foto: Jones Diniz / A Razão)

Estudo elaborado através do Laboratório de Geotecnologias, pertencente ao curso de Agronomia da URI Santiago, foi apresentado no trabalho final de graduação do egresso do curso de agronomia Paulo Fernando Martins, desenvolvido sob orientação do professor doutor Júlio Cesar Wincher Soares e do mestre Vânius Ventorini Veiga.

Utilizando imagens de satélite, verificações a campo e técnicas de geoprocessamento, observou-se que dos 241.307 hectares que compõem o território do município, 13% são de áreas ocupadas por florestas nativas em diferentes estágios de regeneração, 1% são de áreas ocupadas por vegetação nativa associada a pântanos (áreas úmidas) e afloramentos rochosos, e 61% são de áreas ocupadas por campo nativo, sob influência da estepe estacional, vegetação característica do bioma Pampa, perfazendo 75% do território de Santiago.

Boa parte das áreas ocupadas por campo nativo, sob influência da estepe estacional, são exploradas por atividades de pecuária extensiva, as quais contribuem para a conservação desta fitofisionomia. Conforme o professor Julio, esses dados foram mensurados entre 2015 e 2016.

Conforme o estudo, os outros 25% do território santiaguense estão distribuídos entre as áreas ocupadas pelas lavouras, com 21%; pastagens degradadas e florestamentos, com 0,4% e cidade, infraestrutura, barragens, e outras, com 3,6%.

Comentários

Participe enviando seu comentário sobre a notícia