Aguarde...
ENVIAR POR E-MAIL

Geral

Garantidos recursos para concluir obra da Faixa Velha

Secretário estadual Pedro Westphalen garante que recursos estão assegurados

por Fabricio Minussi - Especial em 24/02/2017 08:27

Compartilhar:

Mais opções

Obra de duplicação da Faixa Velha de Camobi teve início em novembro de 2013 (Foto: Gabriel Haesbaert / Arquivo / A Razão)
Obra de duplicação da Faixa Velha de Camobi teve início em novembro de 2013 (Foto: Gabriel Haesbaert / Arquivo / A Razão)

A duplicação da RSC-509 (Faixa Velha de Camobi) esteve na pauta da reunião do secretário estadual dos Transportes, Pedro Westphalen, ontem, na Prefeitura de Santa Maria. No encontro, que contou com a participação do vice-prefeito Sérgio Cechin (o prefeito Jorge Pozzobom estava em Porto Alegre), o Executivo solicitou para que o Estado inclua no projeto global, a iluminação pública da estrada.

Westphalen lembrou que as condições financeiras do Estado não permitem a realização de novos investimentos, que não estão previstos no orçamento e nos financiamentos celebrados com organismos como o Banco Mundial.

“O cronograma e o projeto original não podem ser alterados. O projeto tem que ser executado, conforme aprovado pelo organismo internacional”, afirmou o secretário. Com isso, Westphalen praticamente descartou a inclusão da iluminação pública no projeto original da duplicação da RSC-509.

Segundo ele, seria necessária a apresentação de um projeto específico, para que o Estado possa trabalhar na captação de recursos para complementar a duplicação da Faixa velha de Camobi com sistema de iluminação pública.

59% da obra está concluída

Em meio à enxurrada de pedidos feitos ao secretário, uma boa notícia. A Secretaria Estadual dos Transportes já trabalha com a perspectiva de entregar a obra de duplicação da RSC-509, concluída, ainda em 2017. “Estamos trabalhando nesse sentido. O cronograma nos sugere que isso é possível, até porque os recursos estão todos assegurados e os novos prazos estabelecidos, sendo cumpridos à risca”, anunciou Westphalen.

O diretor da empresa vencedora da licitação, Della Pasqua Engenharia e Construções LTDA, Mauro Della Pasqua, participou da reunião. Ele adiantou que a obra está com 59% do projeto concluído.

“Já executamos a pavimentação das quatro vias, a drenagem, terraplanagem e a contenção entre as duas pistas. Agora, aguardamos a conclusão do viaduto junto à Avenida Osvaldo Cruz, que está sob a responsabilidade da empresa Sogel, para que possam realizar a contenção e os acessos previstos nesse trecho”, afirmou Della Pasqua.

No entanto, questionado sobre o fluxo no repasse dos recursos previstos, o diretor da empresa disse que a disposição das verbas não estaria ocorrendo, conforme o ritmo das medições, condição necessária para que os recursos possam ser liberados.

Sobre esse assunto, Westphalen lembrou que, em 2016, havia uma previsão de repasse da ordem de R$ 120 milhões, oriundos das Contribuições de Intervenção do Domínio Econômico (CIDE).

“No entanto, só recebemos R$ 50 milhões. Mas posso afirmar: esta é a maior obra de mobilidade urbana em andamento no Rio Grande do Sul e vamos cumprir os prazos estabelecidos, até porque trata-se de um compromisso que assumimos com uma cidade que, hoje, possui a pior situação de mobilidade de todo o Estado”, explicou o secretário.

Comentários

Participe enviando seu comentário sobre a notícia